Núcleo de Pesquisa e Estudos Hospital Arquitetura
Tel.: 11 5584-5277
nupeha@hospitalarquitetura.com.br
© 2020 by cabewebdesign | Publicando
Ícones por: "Research" de monkik; "Smart City" de SBTS2018, "Business" by Freepik, mais em Noun Project and Flaticon.
Buscar
  • Nupeha

Plataformas elevatórias, um passo para a acessibilidade

Elas vencem vãos e transportam pessoas, ocupando menos espaço, e garantindo conforto e segurança ao usuário.


FOTO: Thyssen Krupp

Desde o início do ano regulamentada, a plataforma elevatória vertical vem sendo incorporada pelos espaços, assegurando aos usuários o direito à acessibilidade

Os espaços de saúde devem receber de forma igualitária o universo diversificado de pessoas, com ou sem limitações temporárias ou permanentes. Graças ao decreto federal 5296/2004, desde 2008, todas as edificações de acesso público, assim como hospitais, clínicas, laboratórios etc., são obrigados a promover a acessibilidade.


A plataforma elevatória está entre os elementos que vêm sendo utilizados para adequar os espaços à acessibilidade, pois ela auxilia a circulação vertical de pessoas com necessidades especiais, economizando área, quando comparada às tradicionais de rampas, além de permitir acesso ágil.


Seu uso é recomendado quando o percurso chega até 4 metros e a carga nominal a 250 kg, de acordo com a norma da ABNT, NBR 16.655. "Acima dessa medida, a opção é o elevador", ensina o engenheiro Fábio Benites, gerente industrial Montele. E, na hora da aquisição, o engenheiro Sérgio Yassuo Yamawaki, da Daiken recomenda: "fique atento às normas e leis vigentes, à segurança e à qualidade".


Fábio lembra que para o uso de plataformas existe a obrigatoriedade de um responsável técnico, por meio de contrato de manutenção preventiva, devidamente registrado em órgãos regulamentadores, como GEM, no Rio de Janeiro, e Contru, em São Paulo.


A Norma


Publicada no início deste ano, a NBR 15.655-1 - Plataformas de Elevação Motorizadas para Pessoas com Mobilidade Reduzida aborda requisitos de segurança, dimensões e operação funcional das plataformas de instalação permanente, certificando a eficiência e conforto na utilização desses equipamentos, quando respeitados os requisitos da mesma.


"A NBR 15655-1 agrega informações e critérios para quem fabrica como também vantagens para o usuário. Ela dá parâmetros sobre os requisitos básicos de segurança, como sistemas de acionamento, de alarme e de segurança das portas dos pavimentos, bem como referência das dimensões internas da base da plataforma. Agora, as empresas que seguem os requisitos da norma têm como atestar a qualidade de seus produtos como um diferencial de mercado para os usuários", alega Rafael Villar, gerente da Divisão de Acessibilidade da ThyssenKrupp.


Tipos de Plataforma


Caixa enclausurada / Caixa não-enclausurada

FONTE: NBR 15.655-1



Da Daiken, modelo para até 2 m, movimenta-se por fuso, com piso antiderrapante, botão de emergência e trava nas portas

O modelo da Montele tem acionamento por fuso e é indicado para percursos até 4 m, com dispositivo de segurança antiesmagamento

Da ThyssenKrupp , para percursos até 2 m com acionamento por fuso e controles com botões de baixa tensão e pressão constante

Como Escolher


• Considere se as necessidades do usuário são passíveis de mudança no futuro;

• Selecione uma plataforma de elevação com carga nominal capaz de transportar a máxima carga previsível;

• Se a plataforma ficar ao tempo, opte pelo modelo enclausurado;

• Assegure-se de que os usuários possam ser transportados com segurança na plataforma, tanto sentados, em pé ou sentados em uma cadeira de rodas;

• Certifique-se de que tanto operação manual como automática são disponíveis opcionalmente para dispositivos como portas, barreiras ou plataformas basculantes;

• A posição, tipo e número de controles de operação devem se adaptar a usuários com diferentes deficiências;

• O uso da plataforma pode ser restrito aos usuários autorizados por meio de interruptor com chave, cartão eletrônico ou meio similar;

• O número máximo previsto de viagens por hora deve ser determinado pelo comprador e comunicado ao fornecedor;

• Assegure-se que a alimentação elétrica e a iluminação dos pavimentos nas vizinhanças das entradas da caixa estão disponíveis e adequadas ao uso;

• O fabricante deve garantir que a operação da plataforma de elevação seja demonstrada ao usuário e que o usuário seja completamente instruído em seu uso com segurança, incluindo: instrução sobre o procedimento de operação de emergência correto em caso de falha, e os nomes, endereços e números de telefone das pessoas de contato para atendimento de emergência.

• O fabricante deve informar das exigências de inspeção, ensaio e manutenção da plataforma, e de quaisquer exigências estabelecidas em regulamentações nacionais.



A Instalação


• O espaço mínimo é 0,80 m x 1,25 m para equipamento público, e 0,90 m x 1,40 m, para plataformas de uso restrito;

• Verifique que a plataforma não obstrua as atividades normais dentro e nas redondezas da edificação;

• O local e a estrutura de apoio propostos devem ser suficientemente resistentes para suportar a plataforma;

• O espaço de manobra deve ser adequado à cadeira de rodas e estar disponível em cada nível de pavimento servido;

• A classe de proteção contra influências externas deve ser adequada à aplicação pretendida.


FONTE: NBR 15.655-1



A área de manobra deve ser sempre respeitada



0 visualização