Núcleo de Pesquisa e Estudos Hospital Arquitetura
Tel.: 11 5584-5277
nupeha@hospitalarquitetura.com.br
© 2020 by cabewebdesign | Publicando
Ícones por: "Research" de monkik; "Smart City" de SBTS2018, "Business" by Freepik, mais em Noun Project and Flaticon.
Buscar
  • Nupeha

Microban inibe continuamente a proliferação de microorganismos nas superfícies

Atualizado: 21 de Mai de 2019

Ambientes hospitalares ficam mais saudáveis e higiênicos com produtos que incorporam a proteção antimicrobiana


Foto: Durafloor



Com a tecnologia antimicrobiana Microban, os espaços hospitalares, onde o crescimento de microorganismos que causam contaminações, manchas e mau cheiro é inaceitável, tedem a ser cada vez mais higiênicos e saudáveis.


A tecnologia Microban oferece às superfícies proteção contínua, mesmo durante o uso, que proporciona um padrão de higiene mais elevado, minimiza os riscos de contaminações diretas e cruzadas, e propicia bem-estar e facilidade de limpeza por evitar manchas e mau odor causados pelos microorganismos.


Nos projetos desenvolvidos pela CABE Arquitetura Hospitalar, sempre atenta às novidades do mercado, graças a constantes pesquisas sobre revestimentos, estruturas, projetos e conceitos, especifica produtos com Microban “quando é necessário um cuidado maior com o controle de infecção, como em unidades de internação, centros cirúrgicos, pronto atendimento”, alega o arquiteto Marcos Cardone.



Superfície com Microban / Superfície sem Microban



Rejunte com Microban / Rejunte sem Microban


Sob medida


Graças a sua formulação, elaborada, adaptada e otimizada de acordo com o tipo de aplicação, a proteção Microban é incorporada durante o processo de fabricação em qualquer tipo de polímero, resina, verniz, fibra têxtil, couro e alguns tipos de cerâmica, passando a fazer parte de sua estrutura e tornando-a microbiostática.


Ou seja, os ingredientes antimicrobianos deixam o próprio sólido apto a inibir a proliferação de bactérias e fungos, e suas conseqüências, tais como contaminações, a deterioração das superfícies e o mau odor causado pelos mesmos, durante toda a vida útil do material, sem apresentar restrições a qualquer setor hospitalar.


Segundo Edna Buzzoni, gerente de suporte de marketing da Microban do Brasil, “nas aplicações arquiteturais para banheiro, por exemplo, a grande preocupação são os fungos; já em um hospitais, o Staphylococcus aureus, que é resistente à meticilina e um dos grandes causadores das infecções hospitalares”.


PRODUTOS QUE INCORPORAM MICROBAN



Assento Deca / Pisos laminado Durafloor


Superfícies de quartzo Silestone / Painéis de madeira Madeplac BP e MaDeFibra BP




Porcelanato Bioprotege da Gyotoku / Impermeabilizante Bioprotege da Gyotoku



Kit Epóxi Bioprotege da Gyotoku / Selante Bioprotege da Gyotoku

Outro diferencial da tecnologia Microban é que não exige cuidado ou manutenção especial, além da que é requerida pelo próprio produto, “lembrando que a ação antimicrobiana não elimina necessidade de limpeza, mas é um importante complemento à higiene”, ressalta Buzzoni.



Proteção a mais pelo mesmo custo


No mercado de arquitetura e decoração, são encontrados revestimentos como porcellanatos, cerâmicas, rejuntes e pisos laminados, assim como assentos sanitários, painéis de baixa pressão para a fabricação de móveis, e superfícies de quartzo, usadas para pias e bancadas, protegidos com Microban. Eles são oferecidos praticamente pelo mesmo preço dos produtos tradicionais, uma vez que a proteção é incorporada na matéria prima, diluindo o custo inicial.


A CABE Arquitetura Hospitalar costuma especificar acabamentos com Microban em pisos, paredes, bancadas e mobiliários. E é claro que os hospitais não fazem objeção alguma pelos produtos com tal tratamento, pois “trata-se de um valor agregado que gera benefícios duradouros”, afirma Cardone.

1 visualização